quinta-feira, 10 de março de 2011

Insegurança

São 5h da manhã.
Enquanto escuto uma de minhas canções pops favoritas, cai uma chuva fina do lado de fora. Milhares, Bilhares de gotas d’água formando um pequeno filete descendo a rua.
Quem consegue reparar em uma única gota?
Talvez se ela for paralisada em uma fotografia.
Talvez se ela atrapalhar um cabelo recém saído do salão.
Ou se você sentir a gota fria tocando seu corpo quente.
Mas, com que freqüência isso acontece?
Reparar em uma única gota de água é fenômeno raro feito cometa Halley.
Quando eu entro nesses meus momentos de crise, essa espécie de TPM às avessas, eu me sinto como a gota que não é notada, junto a tantas outras gotas igualmente invisíveis.
A sensação é de estar sendo levada por uma corrente que tem vontade própria e anula a minha.
Porque insegurança é isso: Você sabe que é besteira, coisa que seus pensamentos andam criando, que não faz o menor sentido. Entretanto como sair disso?
A insegurança é a corrente d’água que te atrapalha a seguir a direção mais sensata. É corrente que molha suas meias, suas roupas, se bobear até o tutano de teus ossos, mas você está simplesmente lá, preso, sem saída.
Então eu tento de tudo pra ser a gota que te toca, pra ser notada. Pra não passar por esse quadro como só mais uma.
Promete que vai me enquadrar numa fotografia?

3 comentários:

  1. Pode parar com esse posts depressivos!
    Anda ânimo!
    Jesus te ama e eu tbem!

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente não...
    Mas em breve tiro umas fotos legais assim.
    Acessa o meu flicker, tá aqui na barra lateral...

    ResponderExcluir

Olá caro viajante!
Não sei como chegou até aqui, mas agora que entrou, deixe suas impressões.
Ria, critique, escreva o que quiser, assim como eu!
Obrigada pela visita. :)